Quem somos

Movimento integrador de redes, escolas, profissionais, ativistas e iniciativas sociais pela transformação da educação em seus diversos campos.

Objetivo

O principal objetivo deste movimento é apoiar as organizações voltadas para a Educação Básica brasileira que inovam em seus projetos políticos pedagógicos.

Objetivos Específicos:

• Ampliar a demanda social por inovação na educação, fortalecendo essa agenda no Brasil;
• Produzir conhecimento sobre inovação na educação;
• Apoiar a qualificação da oferta de educação inovadora no Brasil;
• Fortalecer as organizações educativas que inovam em seus projetos políticos pedagógicos.

Realização

Cidade Escola Aprendiz, Ashoka e Fundação Telefônica Vivo.

DEFINIÇÃO

O que é Inovação na Educação para o Movimento:

  • ● Resultado de iniciativas de escolas, organizações educativas e comunidades: produção de base;
  • ● Produção coletiva e dialógica;
  • ● Novos conceitos, estruturas ou metodologias – em relação às formas instrucionais, fragmentadas, hierárquicas e centralizadoras;
  • ● Visa superar as desigualdades, transformar seus contextos e garantir aprendizagem e desenvolvimento integral a todos e todas: qualidade na educação.

Dimensões de uma organização educativa inovadora:

● Gestão: uma organização educativa inovadora deve visar a corresponsabilização na construção e gestão do seu projeto político-pedagógico. Logo, uma gestão escolar que estruture o trabalho da equipe, da organização do espaço, do tempo e do percurso do estudante com base em um sentido compartilhado de educação, que orienta a cultura institucional e os processos de aprendizagem e de tomada de decisão, garantindo-se que os critérios de natureza pedagógica sejam sempre preponderantes. ● Currículo: um currículo inovador deve estar orientado no sentido do desenvolvimento integral reconhecendo a multidimensionalidade da experiência humana - afetiva, ética, social, cultural e intelectual. Além disso, sua construção pressupõe processos participativos de produção de conhecimento e cultura, a partir das identidades do território, que conecta os interesses dos estudantes, os saberes comunitários e os conhecimentos acadêmicos e, com base nesta conexão, transforma o contexto socioambiental. Envolve uma concepção de sustentabilidade (social, econômica, ecológica, cultural) para integração de práticas que promovam uma nova forma de relação do ser humano com o contexto planetário. ● Ambiente: espaços inovadores são aqueles compatíveis com as práticas pedagógicas, que favorecem as trocas, criando um ambiente de acolhimento e de solidariedade que manifeste a intenção de educação humanizada, potencializadora da criatividade a convivência enriquecedora nas diferenças. Estratégias que fomentam um ambiente voltado para a aprendizagem, com estímulo ao diálogo entre os diversos segmentos da comunidade, a mediação de conflitos por pares, o bem-estar de todos, a valorização da diversidade e das diferenças, colaborando com a promoção da equidade. Assim, a ambiência diz respeito não somente da qualidade da infraestrutura do ambiente, mas também das relações que ali se desenrolam; ● Metodologia: para ser considerada inovadora, a metodologia adotada deve possibilitar o protagonismo do estudante como participantes ativos em redes sociais e comunitárias, onde interagem, colaboram, debatem e produzem novos conhecimentos. Estas estratégias potencializam o uso que os estudantes fazem dos diversos recursos e tecnologias, inclusive as digitais, para ampliar suas interações e exercer sua autonomia. A personalização do processo de ensino-aprendizagem e dos projetos desenvolvidos pela organização reconhecem os estudantes em suas singularidades e garantem que todos possam aprender, de acordo com seus ritmos, interesses e estilos. ● Intersetorialidade: a inovação deve ser fruto de um trabalho articulado de atores sociais e institucionais visando a constituição de uma rede de direito. É o diálogo entre esses diversos agentes que permite construir ações de garantia dos direitos fundamentais dos estudantes, reconhecendo-se que o direito à educação é indissociável dos demais.

Grupo Articulador

Para apoiar as organizações inovadoras em seus projetos políticos pedagógicos, o Movimento de Inovação na Educação reúne uma série de especialistas de diversas áreas da educação. São eles:

Anna Penido

Inspirare

Bianca Castiglione

Fundação Telefônica Vivo

Cláudia Passos

EcoHabitare

Carlos Artexes

Departamento Nacional do Sesc

Denis Plapler

Portal do Educador

Glauce Gouveia

Comitê Territorial de Educação Integral de Pernambuco/Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj)

Helena Singer

Ashoka

Jaqueline Moll

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS)

José Pacheco

EcoHabitare

Lucineide Pinheiro

UFOPA – Universidade Federal do Oeste do Pará

Maria Antonia Goulart

Espaço Inventivo

Sonia Goulart

CONANE – Conferência Nacional de Alternativas para a Nova Educação

Mila Gonçalves

Fundação Telefônica

Natacha Costa

Associação Cidade Escola Aprendiz

Raquel Franzim

Instituto Alana

Vera Santana

Companhia TerrAmar

Redes Parceiras de Inovação

As iniciativas apresentadas nesta plataforma foram reconhecidas por um ou mais programas:

Selo inovação e criatividade na educação básica

Inovação e Criatividade na Educação Básica

Iniciativa do Ministério da Educação lançada em 2015, adotou como critérios para a Chamada Pública que mapeou a inovação na educação brasileira...

Veja mais
Selo Ashoka para empreendedores sociais

Ashoka Empreendedores sociais

A organização identifica os(as) empreendedores(as) com base em critérios de criatividade, originalidade, perfil empreendedor, fibra ética e impacto social...

Veja mais
Selo escolas transformadoras

Escolas transformadoras

Iniciativa da Ashoka, que articula centenas de escolas em uma rede mundial. Gerida no Brasil em parceria com o Instituto Alana…

Veja mais
Selo inova escola

Inova Escola

Iniciativa da Fundação Telefônica Vivo, que apoia escolas localizadas em zonas rurais e urbanas…

Veja mais