Série Guerreiros da Floresta, que mostra luta de líderes indígenas na Amazônia, é ferramenta para educadores

Publicado em 14 de fevereiro de 2019

guerreiros da floresta - Imagem mostra três líderes indígenas da série Guerreiros da Floresta

Almir Suruí, Ninawa Inu Huni Kuin e Davi Kopenawa Yanomami no cartaz da série

Estreia dia 20 de fevereiro no Canal Futura a série Guerreiros da Floresta. 

Os episódios mostram a luta de três líderes indígenas pela preservação da Amazônia e suas culturas: Davi Kopenawa Yanomami, líder do povo Yanomami, que vive na Serra do Demini em Roraima, perto da fronteira com a Venezuela; Almir Suruído povo Paiter Suruí em Rondônia, da Terra Indígena Sete de Setembro; e Ninawa Inu Huni Kuin, líder dos Huni Kuin, que vive na Terra Indígena Katukina/Kaxinawá no Acre.

Um dos principais objetivos é que a série seja uma ferramenta para educadores abordarem a questão indígena, as culturas das diferentes tribos, temas ambientais e sustentabilidade em sala de aula. Após a exibição dos 13 episódios, o canal pretende lançar um guia pedagógico para o uso de Guerreiros da Floresta nas escolas.

Veja o trailer:

Perseguidos por fazendeiros e mineradores, e reconhecidos por órgãos internacionais como ONU e OEA, Davi Kopenawa, Almir Suruí e Ninawa Huni Kuin conduzem toda a narrativa da série, que é uma produção da Santa Rita Filmes em parceria com o Canal Futura.

Defesa dos direitos indígenas

Débora Garcia, Andrea Pilar Marranquiel, Almir Suruí, Ninawa Huni Kuin e Marcelo Braga (Santa Rita Filmes), no lançamento da série

Débora Garcia, Andrea Pilar Marranquiel, Almir Suruí, Ninawa Huni Kuin e Marcelo Braga (Santa Rita Filmes), no lançamento da série

Presentes na pré-estreia, que aconteceu em São Paulo no dia 14 de fevereiro, Almir e Ninawa reforçaram a importância da produção. “Nós, lideranças indígenas, defendemos o Brasil. Queremos que seja um exemplo de país que respeita seu povo. Hoje, a maior arma que podemos ter é o diálogo”, disse Almir. “Vivemos um momento crucial para conscientização humana, para estagnar tudo de ruim que já aconteceu. A série mostra a nossa realidade da aldeia e a importância da defesa de nosso território. Esse momento é de muito orgulho para nós”, completou Ninawa.

Veja mais: Veja iniciativas inovadoras e materiais sobre edução educação indígena

Segundo a roteirista e diretora Andrea Pilar Marranquiel, o trabalho de produção e articulação com as lideranças começou em 2014. “E a cada visita às comunidades, percebíamos a importância de levar esse tema para o mundo. E agora é justamente o melhor momento para isso”, disse. “Agradecemos esses líderes e seus povos que nos permitiram contar essas histórias. É a verdade de um povo perseguido”.

 

Guerreiros da Floresta nas escolas

Débora Garcia, gerente de Conteúdo do Canal Futura, explica que Guerreiros da Florestá é uma entre 10 séries que o canal deve exibir nos próximos dois anos sobre temas urgentes, que vão desde proteção de nascentes até construção de moradias. “Trabalhamos na perspetiva de não deixar ninguém para trás e não perder o trem da história. Falar desses guerreiros é amplificar essas vozes na garantia de seus direitos, além de ser um convite à empatia. É uma serie para além dos muros da escola”, afirmou.

Além disso, a gerente de conteúdo afirmou que Guerreiros da Floresta deve ganhar uma segunda temporada com foco na educação indígena.

Os documentários ficarão disponíveis na plataforma futuraplay.org.br. Dois episódios já estão liberados.