19/06/2019

10 características de um professor do século XXI

Recentes avanços tecnológicos afetaram muitas áreas de nossas vidas, incluindo a forma como nos comunicamos, colaboramos, aprendemos e, é claro, ensinamos. Esses avanços exigiram, inclusive, uma expansão de nosso vocabulário, produzindo termos como “nativos digitais” e o tópico deste texto: “professor do século XXI”.

Obviamente, ensinar no século XXI é um fenômeno totalmente diferente. Nunca antes o aprendizado aconteceu do jeito que está acontecendo agora – em todos os lugares, o tempo todo, apoiando qualquer possível estilo ou preferência de aprendizado. Mas o que significa ser um professor do século XXI? Abaixo, listamos alguns princípios:

10 características de um professor do século XXI

1. Sala de aula centrada no aluno e ensino personalizado: os estudantes têm diferentes personalidades, objetivos e necessidades, e oferecer ensino personalizado não é apenas possível, mas desejável. Quando os alunos têm permissão para fazer suas próprias escolhas, eles são donos de seu aprendizado, aumentam a motivação intrínseca e se esforçam mais – uma receita ideal para melhores resultados de aprendizagem.

2. Alunos como produtores digitais: os alunos de hoje possuem dispositivos com recursos para produzir blogs, infográficos, livros, vídeos de instruções e tutoriais, só para citar alguns, mas em muitas classes eles ainda precisam desativar esses dispositivos e trabalhar com folhetos e planilhas. Infelizmente, muitas vezes esses documentos são simplesmente jogados fora depois de classificados. Muitos alunos nem querem fazê-los, muito menos manter ou retornar a eles mais tarde. Quando lhes é dada uma oportunidade, os alunos podem produzir blogs, filmes ou histórias digitais bonitas e criativas de que se sintam orgulhosos e compartilhem com os outros.

3. Aprenda novas tecnologias: para poder oferecer escolhas aos alunos, ter a própria experiência prática será útil. Como a tecnologia continua se desenvolvendo, aprender uma ferramenta de uma vez por todas não é uma opção. A boa notícia é que as novas tecnologias são novas para os professores novatos e experientes, para que todos possam participar a qualquer momento.

4. Seja global: as ferramentas de hoje tornam possível aprender sobre outros países e pessoas em primeira mão e não há nada como aprender idiomas, culturas e habilidades de comunicação conversando com pessoas de outras partes do mundo. Ensinar os alunos a usar as ferramentas em suas mãos para visitar, pelo menos virtualmente, qualquer canto do planeta, esperançosamente nos tornará mais informados e compreensivos.

5. Seja inteligente e use smartphones: mais uma vez – quando os alunos são incentivados a ver seus dispositivos como ferramentas valiosas que apoiam o conhecimento (e não como distrações), eles começam a usá-los como tal. Ensinar os alunos a serem independentes e saber como encontrar as respostas de que precisam faz da turma um ambiente diferente. Por que não dizer: “Não sei – use o Google e conte para todos nós”? Que diferença em suas reações e resultados!

6. Seja digital: Outro atributo importante é ir sem papel – organizar recursos e atividades de ensino em um site próprio e integrar a tecnologia pode levar a experiência de aprendizado dos alunos a um nível diferente. O compartilhamento de links e a oferta de discussões digitais em oposição a um fluxo de papel constante permite que os alunos acessem e compartilhem recursos de classe de maneira mais organizada.

7. Use os bate-papos do Twitter: participar dos bate-papos do Twitter é a forma mais barata e eficiente de compartilhar pesquisas e ideias e manter-se atualizado. Podemos crescer profissionalmente e expandir nosso conhecimento, pois há grandes conversas acontecendo todos os dias, e ir a conferências não é mais a única maneira de conhecer outras pessoas e construir redes de aprendizagem profissional.

8. Aprendizagem baseada em projetos: como os estudantes de hoje têm acesso a recursos autênticos na web, especialistas em qualquer lugar do mundo e colegas aprendendo o mesmo assunto em outro lugar, ensinar com livros didáticos virou algo “muito do século XX”. Os alunos de hoje devem desenvolver suas próprias perguntas de direção, conduzir suas pesquisas, contatar especialistas e criar projetos finais para compartilhar, todos usando dispositivos que já estão em suas mãos. Tudo o que precisam do professor é orientação.

9. Crie sua pegada digital positiva: pode parecer óbvio, mas cabe aos professores de hoje modelar como usar de maneira apropriada as mídias sociais, como produzir e publicar conteúdo valioso e como criar recursos compartilháveis. Mesmo que seja verdade que os professores são pessoas e que querem usar as mídias sociais e postar suas fotos e pensamentos, não podemos pedir a nossos alunos que não façam coisas inapropriadas on-line, se nós mesmos fizermos isso. A manutenção do comportamento profissional, tanto em sala de aula quanto on-line, ajudará a criar uma pegada digital positiva e a modelar ações apropriadas para os alunos.

10. Inove: convido-o a expandir sua caixa de ferramentas de ensino e a tentar novas maneiras que você nunca tentou antes, como ensinar com mídias sociais ou substituir livros didáticos por recursos da web. Não por causa de ferramentas, mas por causa dos alunos. Alunos adoram usar palestras do TED e o Facebook para discussões em sala de aula. Eles apreciam a novidade – não as novas ferramentas, mas as maneiras novas, mais produtivas e mais interessantes de usá-las.

*Adaptação do texto de Tsisana Palmer, publicado originalmente no site Edutopia