EMEI Nelson Mandela: educação pública que respeita as diferenças

Modelo de inclusão e combate ao racismo, escola Nelson Mandela transforma ambientes em “territórios de afeto”

Essa escola é mágica?”, pergunta Júlia, de cinco anos. Ao lado dos colegas, que dizem ser habitantes de diferentes planetas, ela se encanta com o universo que extrapola as paredes de concreto: hortas, cozinha aberta, brinquedoteca, parquinho, redário para as horas de leitura, um foguete aterrissado no meio do refeitório. A Escola Municipal de Educação Infantil Nelson Mandela, localizada no bairro do Limão, zona norte de São Paulo, é uma referência para a educação pública.

A escola ganhou uma série de prêmios por suas iniciativas pedagógicas, entre eles o 6º prêmio “Educar para a Igualdade”- Categoria Escola, promovido pelo CEERT (Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades) pelo projeto Azizi Abayomi, um príncipe africano. Além disso, homenagens da Câmara municipal de São Paulo por demais projetos.

Podemos dizer que escola acertou na receita: uma mistura de projetos inovadores e engajados, com boa integração da comunidade escolar e uma alta dose de fantasia, bem à moda literária. “Tudo aqui ganha vida”, afirma a diretora Cibele Racy. Os personagens dos livros passam a ser encenados pelas crianças, há boatos de que as bonecas saem para jogar futebol de noite e até as salas de aula passam a se chamar “espaços de convivência”, batizados com o nome de planetas.

Você será redirecionado para a matéria em 10 segundos.

Caso isso não ocorra, por favor, clique aqui.